Vahanle garante que há dinheiro para estradas de Marrere e Namiteca

Vahanle garante que há dinheiro para estradas de Marrere e Namiteca

O Presidente do Conselho Municipal da Cidade de Nampula, Paulo Vahanle, garantiu há dias, que já existe dinheiro para a segunda fase das obras de reabilitação e asfaltagem da estrada que parte do cruzamento da N1 ao Hospital Geral de Marrere.

Vahanle deu esta informação aquando da cerimónia de apresentação pública de um equipamento, adquirido pela edilidade, para incrementar o processo de remoção de lixo na cidade, assegurando que tem garantias de duas empresas do ramo de construção civil, de realização de um trabalho de intervenção naquele troço,

“Já temos orçamento para solucionar o problema dos buracos e para a segunda fase da estrada de Marrere, bem como a solução da estrada de Namiteca”, garantiu Vahanle.  

Falando especificamente da estrada de Namiteca, importa referir que os moradores daquela unidade residencial e de Mucuaxe, no posto administrativo urbano de Muahivire, proprietários de viaturas, estão inibidos de usar aqueles meios, para chegarem as suas casas ou locais de trabalho, devido a erosão de solos, por conta das águas da chuva, que tornou intransitável a principal via de acesso.

Trata-se do troço que liga a chamada zona de coqueiros, na avenida das FPLM, até a sede do posto administrativo de Muahivire, numa extensão de aproximadamente dez quilómetros.

Por causa da erosão de solos e buracos, a circulação de viaturas é praticamente difícil, o que faz com que os moradores que têm aqueles meios sejam obrigados a deixá-los nos locais onde os mesmos se encontravam, antes do problema.

As condutas de água do sistema de abastecimento de Namiteca estão expostas, o que torna as infraestruturas propensas a actos de vandalismo.

Para minimizar o problema e assegurar a ligação entre Namiteca e Mucuaxe,  um grupo de jovens voluntários mobilizou-se e colocou sacos de areia e troncos de cajueiro e mangueiras.

Para transitar por aquela via, aos operadores de táxi mota, meio alternativo de ligação entre as duas unidades, os jovens cobram 10 meticais.