Cidade de Nampula: Já se usa segunda faixa da estrada “Eduardo Mondlane”

Cidade de Nampula: Já se usa segunda faixa da estrada “Eduardo Mondlane”

Mesmo antes da sua conclusão e entrega, a segunda faixa da avenida Eduardo Mondlane já está a ser usada pelos munícipes da cidade de Nampula, com a aparente anuência informal do empreiteiro e do Conselho Autárquico local.

A reabilitação e asfaltagem de pouco mais de um quilometro daquela via já leva mais de dois anos e para o espanto, há mais de duas semanas tem se visto alguns automobilistas a usarem aquela faixa, inacabada, com todos riscos daí decorrentes.

Sem observância do mínimo de regras, as viaturas estão a transitar nos dois sentidos nas duas vias, desordem que pode culminar em acidentes. Aliás, na via recém-construída ainda existem troncos ou blocos de betão que eram usados para impedir o uso da estrada, que nas noites podem constituir perigo aos utentes.

Uma vez que a faixa antiga se encontra seriamente esburacada, muitos são os automobilistas que já estão a usar sem reservas a nova estrada, cuja qualidade, no entanto, é seriamente questionada pelos munícipes, pois, mesmo antes da sua entrega formal, já denota charcos de agua, sempre que chove, em certas regiões.

A estrada mostra fissuras principalmente nas extremidades, cujo cenário, só será invertido com uma intervenção apurada. Aliás, uma ronda efectuada pela nossa reportagem esta terça-feira, constatamos igualmente que, a chuva que tem vindo a cair nos últimos dias em Nampula, agravou a situação porque alguns buracos estão sendo remendados.

Abordados pelo Wamphula Fax, alguns munícipes mostram-se agastados com a situação e acusam a edilidade, liderada por Paulo Vahanle, de ser o verdadeiro cúmplice pela fraca qualidade da obra por alegadamente ter contratado um empreiteiro sem capacidade.

Benjamim Ussene diz não fazer sentido que uma obra com investimento de vulto tenha má qualidade originando a demora da sua conclusão.

“Visivelmente é uma estrada que vai ter pouco tempo de vida, porque antes de ser inaugurada está com sinais que mostram claramente a má qualidade”, disse o nosso interlocutor, asseverando que se advinha o mesmo cenário da estrada de Marrere que um mês depois da sua inauguração apresentava enormes defeitos.

Sérgio Afonso, outro munícipe com quem falamos, diz que a dúvida sobre a qualidade das obras na rodovia partiu desde o início das actividades, alegadamente devido a morosidade na execução das actividades o que de certa forma comprometeu o cumprimento do prazo de entrega.

“A qualidade é lastimável e até parece uma acção premeditada com o intuito de denegrir o desempenho da edilidade. Paulo Vahanle quis que acontecesse esta situação, porque não faz sentido que findo o prazo de entrega das obras, o empreiteiro continue a executa-las sem o esclarecimento público”, acrescentou a fonte.

Entretanto, a nossa reportagem ouviu o responsável da obra o qual assegura que tudo esta sendo feito para que a estrada esteja nos padrões exigidos, apesar de ser utilizada antes do término das obras.

“Estamos a fazer de tudo para entregar a estrada nos meados de Abril. O que falta, são pequenos arranjos, ocasionados por automobilistas que usam a rodovia antes da sua conclusão”, disse.

Sem entrar em detalhes, Nelson Carvalho, o director do departamento de comunicação e imagem do Conselho Autárquico de Nampula, afirmou que a edilidade aguarda pelo cumprimento do prazo estabelecido para a entrega da obra e caso não aconteça, o empreiteiro será responsabilizado pelos danos causados.